... Compreendi que meu amor não se devia traduzir somente por palavras.
Bom Dia! São José dos Campos, terça-feira, 17 de outubro de 2017

Avisos Paroquiais
Receba nosso informativo diretamente em seu e-mail.
24º DOMINGO DO TEMPO COMUM - Mc 8, 27-35 - Reconhecer Jesus como Messias é segui-lo até a cruz


16/09/2012

Na continuidade de domingo passado, o evangelho deste domingo nos diz quem é Jesus, como deve ser compreendido o título de Messias, aplicado a ele, e quais as consequências para quem o reconhece como tal.
A pergunta que Jesus dirige aos discípulos sobre quem ele é recebe dois níveis de resposta. Para as pessoas, em geral, ele é um grande profeta, mas, para os mais próximos, ele é o Messias. Para nós, participantes da comunidade, mais próximos dele, portanto, ele deve ser mais do que uma pessoa extraordinária e admirável. Ele deve ser reconhecido, de fato como o Salvador, isto é, Aquele que vem da parte de Deus para dar novo rumo ao nosso existir e ao nosso agir.
Pedro, em nome dos outros discípulos, responde corretamente à pergunta do Mestre, porém entendendo o título “Messias” como um mero libertador social e político. Isso é percebido pelo fato dele repreender Jesus quando diz abertamente que devia sofrer, ser rejeitado e morto.  Para Pedro, um líder que vai libertar as pessoas das opressões sociais, políticas e econômicas não pode ter um fim destes.
A missão de Jesus em relação a nós não consiste primeiramente na solução de nossos problemas mais urgentes (doenças, desemprego, falta de harmonia no casamento e na família etc), mas sim na transformação de nossa mentalidade, para sermos diferentes em nossa relação com Deus e com os irmãos. Nesse caso, não podemos esperar somente vitórias e conquistas, pois a mentalidade divina comporta também a cruz como caminho de salvação. Não compreender ou não aceitar isso, mostra que vemos Jesus-Messias ao modo de Pedro.
Jesus chama Pedro de “Santanás”, porque com sua maneira limitada de pensar se coloca na direção contrária dos planos divinos, mas também lhe oferece a oportunidade de evoluir na sua compreensão, convidando-o o colocar-se no seu seguimento.
Jesus quer que sejamos 100% seus seguidores, comungando de sua maneira de pensar e agir e, com isso, assumindo a cruz. A cruz não significa somente os sofrimentos de nosso cotidiano, mas é a consequência da fidelidade ao Evangelho. Todo aquele que decide viver como Jesus viveu, encontrará o fim que ele encontrou. Prosseguir nesse caminho, mesmo correndo esse risco, é assumir a cruz cada dia, renunciando a si mesmo e seguindo-O. Aos olhos do mundo isso é perda, mas para a fé, aqui está a verdadeira conquista da vida.
 

Pe. Edinei Evaldo Batista
Administrador Paroquial

 

Voltar

 
| Política de privacidade © 2010 Paróquia Santa Teresa do Menino Jesus. Todos os direitos reservados.