O Senhor é tão bom para comigo, que me é impossível temê-lo.
Boa Tarde! São José dos Campos, quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Avisos Paroquiais
Receba nosso informativo diretamente em seu e-mail.
26º DOMINGO DO TEMPO COMUM - Mc 9, 38-43.45.47-48 Quem faz o bem é verdadeiro seguidor de Jesus


01/10/2012

O apóstolo João, em nome de seus companheiros, mostra preocupação porque alguém que não faz parte do “grupo de Jesus” estava expulsando demônios em nome do Mestre.  De uma parte se mostra enciumado e, de outra, que não compreendeu bem a proposta de Jesus.
Jesus corrige a atitude dos apóstolos fazendo-os perceber que sua proposta de “viver de um novo jeito” é feita a todos e que quem a aceita e pratica torna-se seu discípulo.
Para nós esse episódio ensina que não somente os cristãos declarados são praticantes do bem. Há muitos que são cristãos anônimos, exatamente, porque fazendo o bem a seus semelhantes, vivem verdadeiramente o Evangelho.
O que faz de uma pessoa um verdadeiro cristão não é a simples pertença ao “grupo de Jesus”, enquanto membro de uma comunidade ou de um grupo, mas o compromisso de fazer o bem a quem quer que seja, de forma desinteressada.
Por outro lado, há pessoas que falam muito de Jesus, mas vivem completamente ao contrário do que ele viveu e ensinou. Embora pareçam seus seguidores, não o são de verdade.
Jesus aprofunda o ensinamento sobre o bem, mostrando que até a simples oferta de um copo de água a alguém que é de Cristo não ficará sem recompensa.
Há muitos homens e mulheres, que mesmo não participando de Igrejas, sabem reconhecer nos pobres e sofredores a presença de Cristo a quem servem sem esperar nada em troca. Esse gesto, no entanto, não passará despercebido aos olhos de Deus, que no entardecer da vida lhes permitirá serem acolhidos como “benditos”.
O bem é algo que nos coloca muito próximos de Deus. Quando se pratica o bem, aí se vive a verdadeira religião, aí se mostra a fé autêntica.
 Já a ausência do bem, sobretudo quando devida aos seguidores de Jesus, constitui um escândalo, isto é, algo que não se pode aceitar. Para quem age assim o Senhor dirige uma forte advertência: melhor seria que fosse jogado no mar com uma pedra amarrada ao pescoço.
O evangelho deste domingo nos alerta ainda para cuidarmos a fim de que o todo de nossa existência cristã não seja prejudicado pelas características particulares que temos. O princípio “o todo é maior do que qualquer uma de suas partes” nos ajuda a entender que ser cristão é viver governado pela proposta libertadora de Cristo e não pelas tendências humanas.

Pe. Edinei Evaldo Batista
Administrador Paroquial

 

Voltar

 
| Política de privacidade © 2010 Paróquia Santa Teresa do Menino Jesus. Todos os direitos reservados.