Por uma graça fielmente recebida, Ele me concedia uma multidão de outras.
Boa Tarde! São José dos Campos, segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Avisos Paroquiais
Receba nosso informativo diretamente em seu e-mail.
32º DOMINGO DO TEMPO COMUM - MC 12, 38-44 - A generosidade total é sinal de confiança em Deus e verdadeira solidariedade com os irmãos


11/11/2012

Tanto a palavra de Jesus sobre as atitudes dos doutores da Lei, quanto seu comentário a respeito da oferta feita pela viúva servem para nos ensinar o que é mais importante, como seguidores do Evangelho.
Os doutores da Lei viviam à procura de destaque, em virtude do conhecimento que possuíam. Jesus os critica porque usam aquilo que deveria ser um serviço à comunidade como autopromoção, dominação e obtenção de vantagens.
E nós? Os dons e os bens que Deus nos concedeu são usados para o bem dos outros ou somente para nosso conforto?
Em contrapartida, Jesus apresenta-nos como modelo uma viúva, que em seu tempo, não recebia nenhum destaque, por ser mulher, sem marido, sem direitos e pobre.
Sua oferta supera a dos ricos, porque é seu tudo. Os ricos nada têm de prejuízo com o que dão, pois oferecem seu supérfluo. A viúva dá tudo o que tem, por isso, seu sacrifício é maior e mais autêntico, mais generoso.
Quem dá o que lhe sobra mantém-se seguro em sua própria existência. Quem doa tudo o que possui mostra concretamente seu amor e total adoração a Deus, a entrega a Ele de sua vida e, simultaneamente, a confiança na sua providência.
A doação total da viúva a Deus é também o seu jeito de ser em relação aos irmãos.
Com a viúva pobre aprendemos que nossa doação a Deus não deve ser daquilo que nos sobra, pois Deus não quer algo de nós, mas quer a nós mesmos e por inteiro. É a nossa confiança total e o nosso compromisso com ele que devemos entregar sem medo de que possamos ficar com menos. Sendo dele Ele também se dá inteiramente a nós.
No evangelho deste domingo, também descobrimos que nossa solidariedade com os outros não pode expressar-se só em dar-lhes coisas supérfluas, mas aquilo que nos é mais custoso: nosso tempo, nossa atenção, nossa compreensão, nossa paciência... Enfim, nós mesmos.
Sejamos generosos com Deus e veremos muito melhor o quanto Ele já é generoso conosco.

Pe. Edinei Evaldo Batista
Pároco

 

Voltar

 
| Política de privacidade © 2010 Paróquia Santa Teresa do Menino Jesus. Todos os direitos reservados.