Acho que nesses momentos de grande tristezas tem-se a necessidade de olhar para o céu em lugar de chorar...
Bom Dia! São José dos Campos, terça-feira, 17 de outubro de 2017

Avisos Paroquiais
Receba nosso informativo diretamente em seu e-mail.
16º DOMINGO DO TEMPO COMUM - Mt 13, 24-43 - As parábolas do Reino mostram a força do bem sobre o mal


20/07/2014

Neste domingo Jesus conta outras parábolas para nos ajudar a acolher o mistério do Reino dos Céus em nossa vida e sermos por ele transformados.
A primeira parábola é a do joio e do trigo, que crescem juntos e, quando estão novos são muito parecidos.  Ele só vão se distinguir pelos frutos. Esta comparação nos ajuda a compreender o fato de o bem e o mal conviverem dentro de cada um de nós e na história humana. Contudo, é o bem que triunfa porque é o único capaz de produzir frutos, isto é, de produzir efeitos que fazem diferença na vida das pessoas, trazendo-lhes alegria permanente. O mal, ao contrário, produz tristeza, decepção e desânimo, levando as pessoas a rejeitá-lo.
Entretanto, o dono da plantação, que representa Deus, é paciente e não tem pressa de eliminar o joio, evitando com isso o risco de perder também o trigo. Essa maneira do dono da plantação reagir simboliza a bondade divina que respeita até mesmo o crescimento do mal, deixando que ele mesmo se elimine. Deus é bom e está comprometido somente com o bem. A maldade é própria do mal. Por isso, Deus não destrói nem mesmo o mal, deixando-o perecer em consequência de seus próprios efeitos. Por outro lado, o dono da plantação fica tranquilo porque sabe que a força da semente por ele jogada na terra é invencível e vai se manifestar de qualquer jeito.
 Trigo e joio simbolizam ainda que em todos nós há qualidades e defeitos, mas se cuidarmos de fazer crescer as qualidades elas governarão nossas ações e os defeitos perderão, progressivamente, sua força. Nesse sentido, também nós devemos ser pacientes como Deus o é e confiantes de que com o auxílio da graça divina, o que há de bom em nós vai se mostrar mais forte do que aquilo que é fraqueza.
A segunda e a terceira parábolas têm o mesmo significado: ao falar do grão de mostarda e do fermento nos fazem pensar na força de vida que se esconde em pequenos gestos. Estas duas parábolas nos ensinam que para fazer acontecer o Reino de Deus entre nós não precisamos realizar feitos grandiosos, mas coisas simples, porém, carregadas de amor e bondade. Estas coisas é que têm a capacidade de mostrar o Reino presente entre nós, de transformar corações e de contagiar os outros para praticar o bem.

Pe. Edinei Evaldo Batista
Pároco

 

 
Arquivos disponíveis:

07-07 -13-07.pdf

14-07 -20-07.pdf

21-07 -27-07.pdf

28-07 -03-08.pdf

Voltar

 
| Política de privacidade © 2010 Paróquia Santa Teresa do Menino Jesus. Todos os direitos reservados.